segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Resenha - 50 Tons de Cinza


Mais fácil perguntar quem ainda Não leu 50 tons de cinza. Pois é, o livro está uma loucura!


Recorde de vendas e de aprovação do público feminino.


SINOPSE: Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos...


Essa é a Sinopse de venda.


Bom, o livro mostra a inocente (virgem)  Ana, completamente encantada com o dominador (louco de pedra e traumatizado com uma infância sofrida - ah vá) Christian Grey.


Grey é sado, gosta de bater e tem um quartinho todo preparado com acessórios para o tal e Ana é virgem. Ele começa tratando-a como outra dominada, submissa (propõe contrato, acordo, ela assina um termo de confidencia e tal, achei meio papagaiada essa parte, mas beleza) qualquer, mas quando ela conta que é virgem, ele começa com o que ele chama de "sexo baunilha" (o sexo básico de nosso dia a dia).


Ele se apaixona por ela e ela por ele.


Bom, nas entrelinhas, ela gosta de ser dominada, bate o pé e o desafia mas gosta. E ele gosta de ser desafiado e está achando o máximo ela não aceitar tudo assim de mão beijada. Como o cara tem grana é muito comum as mulheres ficarem quietas com o "A" dele (apaixonadas pela conta bancária do Grey)


Porque esse livro fez tanto sucesso?


Fácil de responder: conteúdo erótico direcionado ao público feminino, com uma personagem bem característica de muitas mulheres.


A personagem principal narra todos os seus sentimentos e as ações do ato sexual. (considerando que mulher não "gosta" de sexo sem sentimento... foi ideal para o sucesso)


O fato de conteúdo erótico direcionado ao sentimento do público feminino só confirma a velha frase "homens são de marte e mulheres são de venus". Homens querem sexo, mulheres querem sentimento. (não generalizando, é claro).


Ela é insegura, levemente feinha, virgem e não se ama, a ponto de achar que nenhum homem gosta dela (essa descrição representa 90% das mulheres que conheço, ou seja, descreveram uma personagem como a maioria das mulheres, para que todas pudessem se identificar).


Agora, será que é só isso que fez desse livro um sucesso?


*Conteúdo erótico feminino?


*Mulher gosta de ser dominada?


*Mulher está tão carente na vida real que se apega a qualquer romance? (desde Crepúsculo até Harry Potter kkkkk)


*Homens não conseguem atender as expectativas das mulheres? (afinal elas são loucas que querem sempre "mais" e o que é esse mais? coitados... mulheres são muito complicadas)


Minha percepção: o livro mostra as descobertas de uma menina inexperiente vivendo seu primeiro grande amor, descobrindo seu corpo e suas necessidades. Isso atrai as adolescentes.


O fato do personagem principal ser rico, bonito e sexy (fodão) (como ela descreve) se apaixonar por uma "nada" como ela, atrai o público feminino que não se encaixa no perfil de beleza, ou seja, a maioria kkkk


Bom meninas, eu gostei do livro, gosto de uma história de complicação amorosa e como tem todo esse apelo sexual deixa a história mais adulta (nada de vampirinhos virgens...). Estava faltando isso no mercado.


Como toda história meninas, cuidado pra não confundir com a realidade e agir como umas loucas na Europa (pedindo divorcio) ou ficar esperando o seu "Grey" (vampiro, harry potter, sei lá). (conheço várias mulheres que esperam tanto o cara perfeito que vão ficar sozinhas a vida toda).


Viva a sua história.


Bjus


Nenhum comentário:

Postar um comentário