segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Resenha: 50 Tons Mais Escuros


Me surpreendi com o comentário de um amigo "já sei até o que vc está lendo" rs. Sim girls! Os homens estão assustados com os nossos "50 Tons".


Mas o que eles nao entenderam ainda é que além da descrição da relação sexual do casal há o sentimento envolvido (o que, enfim, os boys não deveriam ficar chocados, afinal não tem videozinhos sacanas no celular? Que século estamos? 1920? Me assusta a rejeição masculina para uma liberdade feminina já conquistada há séculos, mas enfim... voltando ao livro...)


 Sinopse Oficial: 

"Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua carreira, trabalhando numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida."

 

No segundo livro da trilogia Sr. Grey aprende a amar. Ou descobre que é capaz de amar.


O sexo baunilha é explorado de uma forma emocional. O sadomasoquismo é o lado negro que Grey quer abandonar. Deixando aquele ar de "os ogros também amam..."


Com um infância sofrida, ele sempre se achou um animal com seu estilo de vida.
Ele tem um problema sério de auto estima (e Ana também, nunca vi alguém se depreciar tanto quanto ela).


No livro 2 aparece uma ex namorada louca (ah vá) e uma ex dominadora que se passa por amiga pra roubar o garotão de volta (ah vá 2).


 

(todas nós já vimos ou vivemos algo parecidinho né?)


 

Depois que Ana o abandona no final do livro 1 "50 Tons de Cinza", veja a resenha aqui, ele entende que gostava dela de uma maneira diferente e não apenas como sua submissa. (achei essa tal submissão muito fora de tudo, mas beleza)


Fiquei um pouco mais aliviada da normalidade do Sr Grey quando ele toma por decisão não machucá-la como no primeiro livro (umas trepadas sacanas sim - como diz a própria Ana - mas a agressividade de punição e dor não).


Ana é corajosa de enfrentar tudo isso (seria amor? Ela também é bem louquinha).


O livro se passa em um curto espaço de tempo (um mês mais ou menos) e todos os dias são muito intensos! Sempre uma encrenca nova.


Até Ana, que começa a se arrumar melhor com as roupas caríssimas compradas pelo Sr. Grey, causa um problema no trabalho quando o chefe dela a assedia.


Grey pede Ana em casamento (hello! Vcs não tem 2 meses juntos! ok, romance Alessandra, pense no romance!).


Tinha que ser livro mesmo! Quando que um playboy, filantropo, milionário (só os Geeks entenderão) iria querer casar? E pior: com uma menina que fica pentelhando o passado dele??? kkkk


O livro traz algumas explicações sobre o sadomasoquismo, o medo do toque, terror noturno. Ana visita o psicólogo do bonitão (só com explicações profissionais desse ser, amiga).


Está sendo importante fazer as resenhas dos livros separados. Assim posso ter uma visão melhor dos fatos. Por exemplo no livro 1 (50 tons de cinza) a ideia do momento não era "fazer amor" mas sim "F* com força" (palavras do Sr. Grey).


Confesso que no "50 Tons de Cinza" me atentei apenas a sacanagem da coisa, mas o romance vai muito além!


Bom, assim como em Crepúsculo, o personagem principal quer machucar a mocinha.


Repito: se algum homem dizer que tem vontade de te matar ou te ferir gravemente NÃO fique com ele! Acorda garota! Realidade é a Lei Maria da Penha e não vampirinhos abibolados ou sados perturbados por uma infância sofrida.


O sucesso do livro? Romance! A sacanagem também mas no livro 2, mas bem menos (no 1 eram descobertas sexuais, no 2 a descoberta do amor é o foco principal).


Mas não fique triste amiga sacana! Ainda tem muito detalhe nas descrições de Ana.


Achei muita encrenca para um curto período, mas considerando o estilo de vida anterior do cara é de se justificar.


Gostei muito mais do livro 50 Tons Mais Escuros do os 50 Tons de Cinza. Grey está mais humano.


E vcs? Gostaram?


Leiam e dê sua opinião! Não fique como um bando de bobocas balbuciando em bandos. (Geeks entenderão).


Bjinhus


Ale


@twittesmulher


Um comentário: