sexta-feira, 22 de maio de 2015

Eu era uma mãe excelente ... até me tornar uma ...

BB


 Sabe aquelas postagens irritantes, grandes e filosofas? Preparem-se.


Outro dia li um texto (sei lá onde, eu leio muito) sobre uma mãe filosofando sobre a mãe que almejou ser e a mãe que realmente é ...


Pois é, não dá pra não pensar em quantas expectativas criamos durante a gestação e quantas delas são jogadas no ralo junto com seu banho de 3 minutos.


E claro, quantas surpresas, cobranças (externas e internas) enfrentamos quando aquele pacotinho lhe é entregue na maternidade e, como disse minha amiga, como ela se sentiu, ao sair da maternidade, "toma que o filho é teu".


Pavor? Sim, foi exatamente isso que senti.


Expectativas! Malditas expectativas! Pra que esperar algo? Deixe viver e acontecer.


Fácil falar.


Alguns conceitos meus caíram por terra. E outros me surpreenderam de uma maneira inenarrável. Sempre achei que seria uma mãe super dinâmica, linda, sempre arrumada, arrumaria tempo para fazer as unhas e cabelo e meu sono seria perfeito! Afinal eu li o tal "Nana nenê!" Super indicado nos insta blogs mamães.


Que nas primeiras crises de birra do pequeno eu me abaixaria e olharia em seus olhos explicando toda a situação e ele compreenderia igual os episódios de Super Nani (que inclusive, eu sei todos). Vexame em público? Claro que não! Meu filho não faria isso! E quando alguém falava o contrário de minhas expectativas eu ficava brava. Claro! A gestação era minha (a gestação é sua) e ninguém tem o direito de lhe adiantar seus sofrimentos, até porque cada criança é de uma maneira, cada mãe é de uma maneira e cada família é única. O que eu passo ou passei com o meu filho, talvez você nunca passe.    ...


** A primeira crise de birra do Lucas foi aos 11 meses, estávamos (meu marido e eu) no shopping Iguatemi em Alphaville. Coisa fina! Dia de semana, só madame loira e bem arrumada e eu? Eu? Correndo igual uma louca no pé desse menino, e ele estava tão agitado porque tinha espaço pra correr que se eu colocasse a mão nele, ele gritava muito! E eu? Ah, eu rachei o bico de tanto rir! A Super Nani foi pras cucuias nesse momento! Ela teria infartado com toda a minha técnica para controlar o birrento em público!!! Me diverti muito. kkk sério **


Que meu sono seria eterno, falaram que nunca mais eu iria dormir...


Não é eterno não meninas. Fiquem tranquilas. É exaustivo. Mas não é impossível. Apenas permita-se descansar. Antes pra mim, dormir de dia era um absurdo. Hoje, se tenho a oportunidade eu durmo sim. Por mais cara feia que eu venha a enfrentar. Meu, eu durmo e pronto, independente se tenho visita, se tenho que me arrumar. Não, não, não!!!!! É meu momento de soneca super necessário... Portanto .. durmam ..


** Observação pertinente: perdi minha ajudante do lar exatamente no pós parto e não achava nenhuma dita cuja que pudesse me prestar serviço. Ou seja, me ferrei muito na licença maternidade kkk faz parte **


Aceitei que sempre serei a primeira a levantar e a última a deitar. E que talvez eu serei criticada, quando falar que estou cansada. Por enquanto eu já ouvi:


** Foi VC quem quis ter filho. Vc sabia que não seria fácil. Pq está reclamando que está cansada? Vc estava há cinco minutos (ou talvez só eles desde as 05h da manha) sentada assistindo TV (isso sendo meio dia). Que exagero, trabalha sentada o dia todo (só quem cansa é peão de obra viu, vai aprendendo). E vc só tem um filho, imagina a fulana com 4. Por isso que se você escolheu ter filho deveria ter parado de trabalhar... =(          enfim... #chatiada #magoada**


E nossa, como tenho raiva quando me falam a frase "Tá vendo? Não é fácil criar um filho". PQP em algum momento eu registrei por escrito em cartório que seria fácil? Pra quê essa disputa idiota criada entre as "mães" de quem se ferra mais e quem sobrevive melhor? TODAS as que conversam vangloriam seus pesares e não falam do lado divertido, das brincadeiras, das bagunças, dos excelentes momentos, só falam que você está ferrada e que "ela" sobreviveu.


Pára mulherada!


Algumas coisas em mim melhoraram. Estou muito, mas muito mais direta, não perco tempo com bobagem e encheção de saco. Se algo tem que ser feito vou lá e faço e prontO. Tudo resolvido.


#AdoroEssaNovaAlessandraDireta


Como não tenho tempo e nem garantia de "resolver amanhã" faço tudo o que precisa (ou quase tudo) no dia. Não deixo nada pra depois ( e como diria Pitty ) não deixo o tempo passar, minha vida rende.


** Nota: não estou reclamando, mas sim relatando. (antes que as puritanas comecem a torrar o pouco que me resta de paciência (que preciso usar a noite com meu bebe pois está em um dos picos de desenvolvimento que requerem atenção total da mãe kkk ah, e a falarem que sou frustada .. tomei uma dessa por essas semanas aí .. não vou direcionar o fato né?).  **


***


Determinei algumas prioridades mais do que básicas na minha vida. Por exemplo se eu tenho apenas um horário e preciso escolher entre lavar a louça e tomar um banho (cuidar de mim) é claro que vou tomar um banho.


Um bom investimento na vida foi uma máquina de lavar louça. Você só percebe que esse tipo de serviço trivial e infelizmente necessário rouba o seu tempo quando você está com falta dele... Pra quem não sabe eu sou uma #workingmom #workaholic .. portanto o assunto "Tempo" é fundamental que esteja controlado e sempre de acordo, para que eu não me atrapalhe...


....


Que eu seria extremamente protetora isso eu já sabia, defendo até filhote de barata quem dirá o meu filho, mas não imaginei que fosse tanto. Sabe aquela frase "Eu mato e morro pelo meu filho"? Comigo é "Eu mato e mato pelo meu filho, porque ficarei aqui para criá-lo até quando Deus permitir". #MãesEscorpianasEntendem


** No dia que o Lucas foi fazer exame de sangue devido uma virose, eu olhei bem no olho da enfermeira enquanto ela apertava o bracinho do bebê (com uma cara de "vou cutucar seu filho") e falei "veia fina não é, olha bem e escolha um dos braços pra não ficar cutucando." Claro que a pobre coitada gelou até a alma. Não falei por mal e nem com grosseria, apenas olhei pra ela intensamente kkk, só a alertei para prestar atenção, pois sabemos que algumas não prestam essa devida atenção. **


Ou seja, me tornei muito mais intolerante. Intolerante com pequeninas coisas, intolerante até com quem é intolerante com besteiras. Deu pra entender o nível de intolerância? kkkk Talvez eu esteja intolerante demais kkkkk


 Ah, mas é claro que isso está dificultando (e muito) meus relacionamentos interpessoais .. se é que ainda tenho algum!


Afe gente .. meu pai esses dias me falou "filha, como pode você estar assim (sem querer conversar com pessoas .. com cães ok, mas pessoas não) ?? E eu que estou velho posso ficar sem falar com ninguém, mas você tá nova, ainda tem que se comunicar.." kkkkkkkk eu mereço pai piadista na crise emocional da filha...


 E eu era uma mãe excelente, até me tornar uma. Até ter que tomar minhas próprias decisões. Até ter que atender expectativas (acho que essa foi a pior parte)...


"Você está dando papa para seu bebê? Mas já? Só legumes? Que carne você comprou? Tem certeza que é a melhor? Acho que vc deveria bater no liquidificador! Não, acho que deveria amassar com garfo! Deixe pedaços! Não deixe pedaços! Compre papa pronta! Nunca dê industrializados! O nariz dele está escorrendo, levou no médico? O nariz dele está muito seco, levou no médico? Vc deveria dar antibióticos! Faça homeopatia! Essa criança é muito agitada! Essa criança é muito calma! Ele AINDA não fala? Ele AINDA não anda. Vc já desmamou? Ele ainda mama no peito? Vc está dando Nan? Aptamil? Leite de vaca? Leite de mula manca? Ele não está muito grudado com vc? Vc dá muito colo pra ele! Ele está muito birrento...  Ele usa chupeta? Ah que dó! Ele fica com a avó? Não seria melhor creche? ou Ele fica na creche? Pq sua mãe não cuida? "


aaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhh                Mas calem-se! Calem-se todos!


Pagar as nossas contas ninguém quer, mas encher a droga saco da mãe fresca tem um monte. --'


Sempre repito "Mãe de primeira viagem não é um asno. E sim, talvez ela saiba o que está fazendo! E NÃO, vc não está ajudando, portanto CALE-SE"


 ** Quando uma mãe de primeira viagem me pergunta algo, eu SEMPRE respondo com a seguinte frase: "comigo foi assim, mas existem essas opções ou já ouvi falar dessas outras". Ah, e eu NUNCA me atrevo a sair falando (A única dica que dei foi do aspirador nasal - sugador de catota - pq quando o bebe fica gripado, é um transtorno), se ela perguntar eu falo, do contrário eu parto do pressuposto de que ... Ela não é um asno e sim, terá confiança em si mesma no tempo necessário. O que deve parar são os falatórios na cabeça dela! Só assim ela terá tempo e liberdade suficiente para se descobrir como esse novo ser: uma mãe! **


                        Bom, agora pensando em mim, única e exclusiva estrela desses argumentos kkkk


Preciso listar minhas novas qualidades e os meus defeitos? Não, esses já estão claros.


Na verdade, eu não posso listar minhas qualidades de maneira nenhuma. Algumas delas apareceram depois que corrigi alguns defeitos, mas estes infelizmente faziam parte de minha base e talvez tenha sido o principal culpado por todo esse lenga lenga emocional aí em cima... **nota emocional --> estou iniciando uma nova terapia com florais pra lidar com esses novos sentimento kkkk


** Aprendi a me calar. Ah, eu falava demais. Simplesmente ficar quieta. E acreditem, para uma escorpiana nata, orgulhosa  e emocionalmente agressiva, essa foi a "pior", A PIOR, qualidade que eu adquiri. Isso acabou e acaba comigo, todos os dias e em todos os segundos que preciso pensar antes de falar. Que preciso pensar por um bem maior. Que preciso pensar que possa ter consequência. Isso amigas, é o que chamo de "peso da idade". Você sabe que se falar, será pior, pior para o ambiente externo e para as pessoas envolvidas. Mas quando na verdade vc está fazendo mal apenas pra vc mesma. Ou melhor, talvez vc esteja sim fazendo mal para as pessoas...  de repente vc muda! Como assim? Era mais fácil lidar com a Alessandra falante de antes, ou talvez as pessoas se acostumem e o mínimo que você fala vira um evento social de falatórios e encheções... **


---> nota emocional 2: de acordo com a sra que me atendeu para manipular os florais, as emoções da mãe e do bebê são muito ligadas, até os 07 anos de idade, portanto, você (eu no caso) não apenas se prejudica, mas prejudica também o seu bebe .. #FicaDica


** Ah, como eu gostaria de responder. Juro. Gostaria mesmo. Nisso eu me fechei. Me fechei de uma tal maneira que quando surge o assunto encontros sociais eu não quero. Não quero ter que argumentar elegantemente cada comentário ridículo e desnecessário referente à minha pessoa como mãe, mulher, trabalhadora, administradora, educadora física (isso ainda é mais irritante pois eu trabalhava em duas áreas distintas, e atualmente não consigo trabalhar como educadora física e as pessoas me questionam muito). Não quero conversar sobre meu corpo. Me deixem! Ou melhor... Nos deixem. Mulheres após o parto não querem falar do corpo. (galera da educação física, eu os amo, mas no momento eu não gosto de vocês). Não quero pensar. Por hora, algumas de nós precisam apenas sobreviver! Sobreviver a toda essa rede gigantescas de mudanças que invade a sua vida. E que, sim, você queria, muito, vc buscou por isso, e que vc ama. Ama intensamente cada sorriso, cada suspiro, cada manha, cada xilique e que morre desesperada por qualquer espirro fora do comum. **


Nossa, como eu criticava mulheres que eu chamava de apáticas .. hoje talvez eu tenha me tornado uma. O poder do silêncio. Tão destrutivo e / ou tão renovador ....


Como era fácil julgar. Eu até poderia não falar, mas eu pensava. kkk ai Jesus ..  se pensava. E cai na testa da meeesssmmmaaa maneira que falar. kkkkkkkk. vai vendo!


Me racho de rir meninas. Como o mundo dá voltas!


Tanto pra mim, quanto para àqueles que falaram e/ou ainda falam ..


Sei de alguns reconhecimentos externos. Já ouvi algumas conversas como por exemplo "Não sei como ela conseguiu, fiquei impressionada, nunca imaginei que seria tão dedicada."


Fico quieta... Deixa... Não sei se é sincero... Odeio confetes festivos na vida alheia (principalmente se essa vida for minha).


O reconhecimento de meus esforços quem tem que dar sou eu para minha própria pessoa... (se é que vcs entendem essa redundância) ... E para mais ninguém. Faço pelo seu filho. Trabalho e me supero por ele. Quem quiser falar que fale, mas falem longe tá, estou cansada e não vou argumentar... #ApáticaModeOn


...


Resumindo... se é que é possível resumir esse pequeno texto prolixo.. redundância again #ILoveIT


Como Mãe: * Como mãe me descobri mais desencanada do que achei que seria, mais estressada do que achei que seria, SuperExtraMega protetora, SuperExtraMega cuidadora, extremamente dedicada, atenta e muito, mas muito cansada. E desse cansaço eu me supero e vou!!! E aprendi que meu limite está longe de ser alcançado, se algum dia pensei estar no meu limite de exaustão, eu não estava... Que Deus não me ouça nisso que vou lhes contar (porque ele sempre tem provas novas novinhas pra nos mostrar como somos capazes) .. mas eu sou bem mais capaz do que um dia achei que seria. (Não me manda prova agora Deus, dá um respiro pra essa alma) kkkk .. Anexo 01 - comecei esse texto em uma terça feira de madrugada, e estava confiante quando escrevi esse parágrafo. Me senti corajosa, amada, superadora de limites e fiz essa piada infame "Não manda prova agora Deus, dá um respiro pra essa alma" e na quarta feira de noite meu marido manifestou a Dengue, ficou 01 semana na UTI, meu filho se arrebentou de cabeça na escola (primeiro dia dele em período integral), pedi socorro pro meu pai e minha tia (pois eu estava do outro lado da cidade no hospital com o marido), minha mãe e minha sogra viajando, semana de pagamentos na empresa (sou do departamento pessoal), ah, meu filho ficou gripado e engasgava com o catarro, eu não dormi por uma semana de olho nele e preocupada com o marido sozinho no hospital. Graças a Deus minha família me ajudou, tanto no trabalho como no pessoal. Me senti socorrida, apoio da família nessas horas de crise são fundamentais, mas o stress e preocupação que passei, e a gestão do tempo pra conseguir trabalhar e atender a todas as necessidades que me são solicitadas (no pessoal e no profissional) foi realmente extraordinário, não tenho outra palavra, foi desgastante e.. chega ..  Por isso indico sim o aspirador nasal, isso sim é fundamental. Anexo 02: bebe e marido já estão bem, foi o mês mais FDP que passei na vida, comi o pão que o cão amassou, mas pelo menos emagreci, rsrs.


* Como mulher eu me anulei. Nunca achei que passaria por isso. Já estou me recuperando meninas, juro. Mas a verdade é que virei uma bolha, uma bocóió sem assunto, sem convivência social. Até burra estou me achando. Vê se pode! A quantidade de "diplomas" que tenho e ainda me sinto burra (sim, eu atribuo essa minha nova condição de ser humano burro aos falatórios, desmerecimentos, indagações ridículas, que só me fizeram sentir dúvidas e honestamente, duvidar de minha capacidade nunca foi uma opção em minha vida, sempre foi SE EU QUERO, EU POSSO E EU CONSIGO). Anexo 03: esqueçam esse parágrafo, burra é a mãe da quenga, e sim, eu posso e consigo, leiam Anexo 01 e 02.


* Descobri que talvez o modelo das mães de ontem talvez não se adeque à todas as mulheres e muito menos à todas as crianças. Descobri que talvez essa concepção de mãe, do lar, dona dos afazeres domésticos seja apenas mais um fruto da nossa sociedade machista. Não desmereço e respeito muito as mães do lares (minha mãe foi uma mãe do lar) e hoje como mãe sei reconhecer que a presença da mãe em uma casa ajuda muito os filhos, mas também sei aceitar que essa não é a minha realidade.


** Não volto pra cozinha, o negro não volta pra senzala e o gay não volta pro armário ** Pitty Love U always


* Descobri que me preocupo (e muito) com o que os outros falam .. Isso me irrita mesmo .. Eu nunca havia sido julgada (porque mães e gestantes são julgadas por todos em 99% dos momentos .. "VAI VENDO"..) .. nunca haviam duvidado de minha capacidade .. de minhas decisões. Realmente não é legal ter que se justificar para o NADA. Pq essa sociedade é um nada.


" Só dê ouvidos a quem te ama. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. O que te salva não é o que os outros andam achando, mas é o que Deus sabe a teu respeito. Padre Fábio de Melo."


** Então rasga o diploma --' **


                                             ** Quer ter família e trabalhar fora? Isso não combina **


** Que absurdo! **


                                                                 ** Não acredito que vc vai fazer isso? **


** Faça **


                            ** Não faça **


** Deixe **


                                                                               ** Não deixe **


Parem. Sério. Não é só comigo ou como foi comigo, mas acontece com todas as mães, e se for de primeira viagem então .. aí o falatório é imenso.


E para finalizar .. juro que agora finaliza .. Eu acho .. já editei tantas vezes esse texto e tenho certeza que 99% não vai ler até o final, afinal, o intelecto do ser humano só filtra as primeiras 475 palavras .. fonte google hahaha.


Minha esperança é de criar o meu filho da melhor maneira possível, orientar para que suas escolhas sejam as melhores e que essas o faça feliz.


Ser mãe é falar do lado bom e do lado ruim (as insta mamães que me perdoem, mas nem mundo mágico da Disney é perfeito), aceitar sua condição física, emocional e até financeira, para que deixemos de lado essa fixação louca por atender expectativas e responder às perguntas e parecer sempre linda, perfeita e feliz .. #MãeTambémÉGente kkkkk


Espero que esse texto não pareça mais do que é, apenas um desabafo, eu diria um "conto" .. uma parte desse meu primeiro ano como mãe ... bjinhu gurias cheias de olheiras kkkkkk #SouMãeBrasileiraENãoDesistoNuncaDeMeArrumar kkkkk


Fechando o ciclo - ano 01.

Nenhum comentário:

Postar um comentário