sexta-feira, 28 de julho de 2017

O Desfralde!



Chegou o assunto tão temido e esperado!

óH Desfraldêeeeeee

Além do meu relato, vão algumas dicas que pra mim foram boas, espero que ajude =)

******************

Qual a idade certa para tirar a fralda?

Pois é, há muita discussão. 

Reza a lenda que a idade ideal é entre 24 e 32 meses. Um pouquinho a mais ou a menos depende de cada criança.

Na internet você vai encontrar muitos "malefícios" com relação ao desfralde precoce ou tardio. Não se assustem e por favor, ignorem de leve esses especialistas (que provavelmente não tem filhos)

Agora vou contar como aconteceu com o Lucas:

............................................

~ O Lucas não teve um início muito fácil aqui na terra. Desde que entrou na escolinha (com 01 ano) ele ficou muitas vezes doentes. Viroses o acompanharam até os dois anos. Quando acalmou esse lote de virose, vieram as crises de asma. No ano passado, com 02 anos de idade, ele ficou saudável apenas no mês de agosto! Sério. 

Foi de Janeiro a Julho com crises de asma (desesperador gente). No mês de agosto, estava tudo aparentemente controlado. Dei esse mês de folga pra ele e pensei em começar o desfralde em setembro.

E então começaram as dores de garganta e os problemas com a adenóide e apnéia.

O Lucas teve 05 crises muito fortes de dores de garganta. Foi até inicio de dezembro sofrendo.
Tivemos ate um episódio onde ele teve que tomar antibiotico na veia, nada passava na garganta. Aí o antibiotico deu reação e imaginam ne? 

Quem quiser conversar mais sobre viroses / asma / cirurgia de amidala me liga rsrsrs

Visto e contado tudo isso. Vocês realmente acham que o meu filho tinha estrutura para o desfralde?

A cirurgia dele de amidala e adenoide foi em fevereiro de 2017, ele estava com 03 anos e 02 meses.

Fiquei em casa com ele 20 dias na recuperação da cirurgia. Conversei com ele e desfraldamos. Simples assim. ~

............................................

Um grande / enorme / gigante problema que envolve o desfralde (e qualquer assunto relacionado a filhos) é o falatório.

Eu sou a primeira de uma gama de amigas e colegas que tiveram filhos. É criança a rodo! As amigas NUNCA falaram nada sobre o desfralde tardio do Lucas, já as colegas... né abusadinhas...

* Acredito que a primeira coisa para um desfralde bem sucedido é a mãe ser calma. 

* Segundo, inicie uma fase de conhecimento sobre o assunto (seu? não mãe, da criança)... Como é o seu filho? Como ele aprende melhor? Com historias ou com vídeos? Aborde o tema de forma divertida e mostre pra ele que aquilo é legal. Tem alguns livros que falam sobre o assunto. Por exemplo - O que tem dentro da sua fralda?

* Qual o nível de compreensão do seu filho? Eu tenho algumas amigas que tentaram o desfralde precoce e não foram bem sucedidas. E algumas sim. Acredito que a mãe deve decidir.

* Sobre o desfralde tardio... Alguns pesquisadores (que não tem filhos) afirmam que isso pode causar incontinencia urinaria no futuro. Mas outros dizem que o desfralde precoce também. Conseguem entender o que estou falando? Nao estressem ao ponto de estragarem um momento tao importante do desenvolvimento do seu filho só pq o filho da vizinha de 08 meses já usa o pinico. Nada é concreto e, assim como pessoas grandes, os bebes, que são pessoinhas, são diferentes.

............................................

A escola

Um ponto crucial para o desfralde (no meu caso) foi a escola. No ano que citei, onde o Lucas ficou super doente, elas me ajudaram muito. Nunca forçaram o desfralde e entenderam a situação. Não sei da escola do seu filho, mas algumas usam padrão. Fez dois anos, arranca a fralda e pronto. Não vou julgar.

O Lucas atingiu 03 anos com fraldas. Depois da cirurgia ele voltou para a escola desfraldado.
Mas eu não sei até agora que "cargas d'agua" que depois que ele voltou pra escola, algumas coisas desandaram...

Em casa estava tudo normal. Ele tinha poucos erros com o xixi, mas do nada, ele começou com um tal medo do coco. Conversei com ele e ele pediu fralda pra fazer coco e começou a se esconder.

Em Abril desse ano, meu marido fez uma cirurgia no ombro. Rompeu musculo peitoral, cabeça longa do bíceps e estragou tudo que tem lá dentro do ombro! Não vou falar sobre isso, mas eu avisei, eu estava correta. Sou educadora física e Fisiologista. Chega desse assunto que me magoa pra caramba.

Bom, no final de abril elas me chamaram na escola pra saber se "estava tudo bem em casa", fiquei em choque. Elas falaram que ele estava embaixo da mesa da professora, que não queria mais brincar com os amigos e elas queriam saber o que estava acontecendo em casa. 

Um fim de semana antes dessa reunião, eu fui com meu filho no ceasa de Sorocaba (temos box lá). Ele se apresentou pra todo mundo, comeu tomate e pastel, se escondeu no meio das plantas. Ou seja, uma criança absolutamente normal e extrovertida.

Vi que estávamos falando de duas crianças diferentes. O meu filho e aquele aluno problema que fica embaixo da mesa e aparentemente tem Dislalia. 

Perguntei há quanto tempo ele estava agindo assim, a resposta foi há 10 dias.

Coincidentemente ou não, há 10 dias, Lucas usou todas as roupas da bolsa. Fez muito xixi e coco nas fraldas. Tentei conversar com elas sem sucesso. Preferi observar. Depois dessa sexta feira do xixi, ele pediu fraldas no final de semana. Respeitei, perguntei o que aconteceu e ele se recusou a falar. E foi ficando cada vez mais quieto e se recusando a entrar na escola.

Pra mim, elas deixaram ele urinado pra aprender. Ele estava assado. Elas juram de pé junto que não, mas, enfim, não tenho como ficar nesse jogo de acusações.

Voltando... Perguntei há quanto tempo o Lucas estava com esse comportamento recluso. Foi há 10 dias. Batia com a data da sexta feira do xixi. Indaguei, questionei, e nada de me justificarem. "Vamos averiguar mamãe".

Lucas desenvolveu uma antipatia por uma tia em questão. Não tenho como falar, mas em casa ele falava que não gostava dela.

Nessa reunião eu comentei sobre isso e elas me pediram que eu levasse o Lucas no neurologista para investigar a Dislalia. Saí de lá da escola com um diagnóstico perfeito sqn feito pela "neuropsicopedagoga".

Curioso é o fato de que todos os amiguinhos do Lucas tinham problemas: dislalia, hiperatividade, TDAH, autismo, distúrbios diversos, agressividade.

Aprendam escolas, mães conversam!

Como mãe dedicada, levei o Lucas no neurologista. Passei vergonha. Ele fez exames, trocou a maior ideia com o Lucas e deixou bem claro que a escola estava escondendo algo.

Pediu que eu observasse o Lucas e o levasse na fonoaudiologa a partir de agosto, caso houvesse necessidade. A fala dele esta com atraso, em comparação com outras crianças da idade. Mas peraí, meu filho ficou 5 meses com dores de garganta, é obvio que iria desenvolver a fala com atraso.

Neuro me confirmou isso. Por isso pediu que eu observasse até agosto. Vou levá-lo na pediatra dele na segunda semana de agosto e vou pedir um encaminhamento para uma avaliação.

Até que um certo dia fui buscar o Lucas, e ele não me deixou bater papo na porta da escola com as outras mães, estava irritado. Me puxou pro carro e falou "vamos embora mamãe" e eu perguntei o que estava acontecendo e ele "eu tô com coco".

Puxei a calça dele e ele estava com uma fralda absurdamente cheia. Com coco e xixi de horas.

Aquilo foi a gota de qualquer litro de vodca.

Voltei chorando com ele pra casa. Mandei uma mensagem com palavras de baixo calão para o dono da escola e fui em outra escola.

(Tiveram mais pequenas lesões emocionais até que eu conseguisse trocá-lo de escola, como por exemplo o dia que ele chegou com tanta fome que não tinha coordenação pra colocar a bolacha na boca, chorando. Ou o dia (ou vários) que elas me falaram que ele jantou e ele e os coleguinhas na porta da escola falavam "tia, o lucas nao comeu nada da comidinha")... enfim...

Essa escola nova, eu queria ter colocado ele no começo do ano, mas tinha a cirurgia e não estava desfraldado. A nova escola não é creche. Então eles pedem que a criança esteja desfraldada (ou quase) pra poder entrar lá.

Levei ele para conhecer a escola e tirei ele agora em julho.

Ele é outra criança. Conta o que aconteceu no dia, fala das prof e dos amigos. Os erros de xixi e coco estão diminuindo.

Posso dizer que meu filho foi desfraldado por mim e re-fraldado por aquelas.

Agora, pergunta lá pro Lucas se ele quer voltar pra escola velha "de jeito nenhum mamãe, quero a escola azul".

Inclusive, o trauma é tanto que, se eu faço o caminho da escola velha, ele começa a gritar dentro do carro.

Não sei o que aconteceu lá, mas traumatizou meu filho, estragou meu desfralde perfeito e me deixou num nível de stress estratosférico.

Uma pena. Mas enfim...

......................................................

Espero que esse relato ajude alguém e tranquilize também. O filho é de vocês e não "delas" (as faladeiras). Você conhece seu filho e não "elas" (as abusadas).

Fiquem em paz =)






Nenhum comentário:

Postar um comentário